muxx


Honourable request from the Princess of the Orient
April 30, 2007, 2:43 pm
Filed under: LANGUAGES

she says “i still think this blog needs to be bi-lingual”. I say “i’ll think about it, but my portuguese is far better than my english and there are already more blogs written in english than any american princess of the orient can read during her life”. Unless you want to translate it, or become another user of my blog.

É um facto, tenho andado a pensar nesta gente que não fala português mas que, noutras línguas, faz parte da minha vida.

Advertisements


checklist do emigra
April 28, 2007, 5:28 pm
Filed under: BON VOYAGE, PORTUGAL

AFAZERES: ir com amigos a tasquinhas; ir com miudas a esplanadas e restaurantes giros; ir à fnac comprar livros e discos e ficar lá três horas a ouvir música ; ir a uma esplanada ou restaurante perto do tejo; ouvir rádio boa no carro; sair à noite; telefonar a amigos que já não vejo à muito tempo; saber quantos mais é que já tiveram filhos; jantares de família; beber cervejas e comer caracóis; ir ao cinema; ver concertos; comprar cenas; visitar familia; visitar amigos e jantares em casa deles; despedir do JL; entregar coisas que trouxe de outras pessoas; pequenos almoços nas pastelarias; comprar o jornal de manhã; beber água da torneira; ir a festas

COMERES: pasteis de nata; ir ao 3; moelas; bacalhau à braz; ameijoas; imperiais; muitos petiscos de marisco; queijo com marmelada; patês bons; sandes de presunto; comida italiana boa; ir ao nood experimentar; bolos da Bernard; saladas; ir ao casa nova à tarde; ir ao teatro taborda; 

a actual check list do emigra é uma versão em desenvolvimento



dá-me gosto
April 27, 2007, 7:46 pm
Filed under: PORTUGAL

sentir o fresco e tentar abrir as narinas até ao limite para entrar este ar. sente-se, o ar, a entrar para os pulmões. vê-se tudo muito nítido, meio azulado e sem a luz alta, quente, com sobras escuras, amarela nas highlights que queima as paisagens dos trópicos. imagine-se uma ilha tropical mas com esta luz! seria o paraíso – se bem que deve ser difícil encontrar sítio tropical para onde paraíso possa ser empregue em plenitude. depois as ervas, daninhas e familiares, cheias de verdes diferentes. porque é que o verde dos trópicos é quase sempre todo igual? não há verde folha de videira, nem verde erva das azedas. o meu passado agrícola diria-me que não existem muitas plantas a perder a folhagem toda e que se vejam numa altura do ano cheias de rebentos novos, com este verde. o meu passado de vida no enclave diz-lhe logo que não é verdade, que todas as árvores à volta da minha casa perderam as folhas com o vento salgado e nenhuma delas despontou com um verde igual a este.



planos de fim de semana
April 27, 2007, 2:23 pm
Filed under: PARTY, PORTUGAL

voltar para a capital no sábado de manhã, a tempo de passar a tarde a vagabundear pela cidade; jantar num belissimo restaurante ainda por escolher; ir ver um desses sítios novos/velhos que têm andado a reabrir para fazer concertos; sair até tarde; dormir a manhã de domingo toda; pequeno almoço num dos cafezinhos ao pé de casa – ucal de chocolate para amainar a ressaca; comprar o jornal; ir ao cinema; ler o jornal e perceber como é que vou gastar a semana



further readings
April 27, 2007, 1:25 am
Filed under: LANGUAGES, LEITURAS

Selier, A. Atlas des peuples d’orient – Moyen-Orient, Caucase, Asie Centrale McLuhan, M.; Fiore, Q. War and Peace in the global village Lawrence, D.H. Lugares Etruscos Lévi-Strauss, C. Tristes Tropiques Salesse, Y. (ed.coord.) Pour des Politiques Alternatives Maalouf, A. Les Identités Meurtrières.

Levo valiosa bagagem para ler nos próximos meses. O do Maalouf vai ser leitura repetida e provavelmente, mais uma vez, muito própria aos tempos que correm. Não posso deixar de mostrar como ele fala de assuntos sérios (embora em línguas estrangeiras):

« Ne quittons pas encore Sarajevo. […] Observons, dans la rue, un homme d’une cinquantaine d’années.
« Vers 1980, cet homme aurait proclamé : « Je suis yougoslave ! », fièrement, et sans état d’âme ; questionné d’un peu plus près, il aurait précisé qu’il habitait la République fédérée de Bosnie-Herzégovine. Et qu’il venait, incidemment, d’une famille de tradition musulmane.
« Le même homme, rencontré douze ans plus tard, quand la guerre battait son plein, aurait répondu spontanément, et avec vigueur : « Je suis musulman ! » […] Aujourd’hui, notre homme, interrogé dans la rue, se dirait d’abord bosniaque, puis musulman […]
« Ce même personnage, si on le retrouve au même endroit dans vingt ans, comment voudrait-il se définir ? Laquelle de ses appartenances mettra-t-il en premier ? Européen ? Musulman ? Bosniaque ? Autre chose ? Balkanique, peut-être ? »



cravidade
April 25, 2007, 11:47 pm
Filed under: DEMOCRACIA, PORTUGAL

onde é que elas estavam no 25 de abril
admirei-me com o 25 de abril no largo do camões. relvaram tudo, chegaram as pessoas só para se sentarem ao sol, rirem e admirarem a cidade. contemplavam as liberdades uns dos outros, que se espojavam pela relva, ou no sofá, que estendiam a roupa num dos largos mais importantes da cidade. gramei. sem politicas, sem forças, sem nada que não fosse a descontração da festa. sempre achei que devia ser pura festa e parece que para lá caminha.



jet lag
April 24, 2007, 12:16 am
Filed under: BON VOYAGE, PORTUGAL

seis da matina