muxx


ai que vergonha, mas porquê?
August 31, 2007, 10:44 am
Filed under: PORTUGAL

porque é que um instituto que eu cá sei para a cooperação tem um site com cv’s dos vice-presidentes, que são só três, e não segue o exemplo dos franceses e só lá põe os nomes das pessoas e a sua área de esperteza? ninguém diz, no site dos franceses, se tem bons conhecimentos de inglês ou de francês, se tem uma história profissional realmente interessante mas menos bem retratada, ou se tem um passado profissional apenas desinteressante do ponto de vista da cooperação e do desenvolvimento mas que talvez dê para a coisa. nem ninguém faz em mais nenhuma parte do mundo cv’s que começam do príncipio da carreira profissional para o fim. e assim escrevi o único post sobre a cooperação desse país, prometo não o voltar a fazer. mas isto é realmente uma vergonha.

Advertisements


eclipse pam-pam-pam-tum-tum-pam-pam
August 29, 2007, 8:08 am
Filed under: Dili, EAST TIMOR, TIMOR LESTE | Tags:

eclipse east timor
picture from: www.universetoday.com

quando há um eclipse da lua, toda a gente em timor, ou pelo menos muita gente em timor, sai para a rua para bater em ferros e fazer o mais barulho possível. não será isto grande novidade para os que já assistiram a um tremor de terra neste país. a novidade é que não há medo durante o eclipse, são maioritariamente os miúdos que vêm para as ruas, a rir e contentes. foi uma bela meia hora, que começou às 19:55 com uma mensagem de segurança que dizia: “INFO! Lunar eclipse will be celebrated by making noise, including pole banging, tonight.” e não podia ser mais verdade, dois minutos depois começaram as pauladas nos postes. o barulho é para acordar a lua e fazê-la acender-se outra vez.



vidas aborrecidas
August 28, 2007, 9:54 am
Filed under: Dili, TIMOR LESTE | Tags:

o mmux quer hoje partilhar uma preocupação que o tem assolado desde há quase duas semanas atrás. para ser mais especifico, a assolação começou no passado dia 11 de Agosto, quando o mmux recebeu um convite para participar num workshop em geneva (genebra? geneve?). depois do contentamento inicial por ter uma inesperada oportunidade de visitar a europa, seguiu-se a famigerada frase que alterou para sempre a perspectiva de vida do mmux “We also request that you provide M. S. two “interesting”/little known facts about yourself either personal or professional (i.e. worked in East Germany the day the Wall came down or has snowboard in 4 or the 5th continents) by the 18 August.“. depois de muito pensar e de não ter encontrado nenhum facto verdadeiramente extraordinário que tivesse marcado a sua vida, o mmux fechou-se em copas e decidiu adiar o mais possível pensamentos relacionados com o assunto. foi no passado dia 20 que um aviso chegou à caixa do correio electrónico, e dizia “é favor mandar o facto interessante que marcou a sua vida, o mais depressa possível. faz favor, não o partilhe com outros colegas que venham a participar no workshop porque o facto interessante fará parte de um exercício de grupo”!!!

o último e-recado só veio piorar a indecisão. mas que factos podia o mmux apresentar? que viajou por sete ou oito paises da asia e mais sete ou oito da europa? não parecia fazer muito sentido apresentar isto como muito interessante num workshop cheio de gente a trabalhar em emergências pelos quatro cantos do mundo. talvez o facto interessante nesse contexto fosse que “o mmux SÓ visitou estes países assim assim”. mais, o mmux estudou lá fora, o que também não seria muito interessante de dizer no meio de gente com muito mais estudos que o mmux, e com mestrados e doutoramentos e tal. o mmux trabalha em timor há quatro anos. não parece a esses profissionais uma grande coisa. para acabar, o mmux pensou que realmente não, nunca esteve num momento como a queda do muro de berlim e também não, nem sequer nunca esteve nos cinco continentes muito menos fez snow board em quatro deles. e não, também nunca fez nada sequer comparável a estas tremendas façanhas.

o mmux acabou a escrever um email ao M. S. a dizer “desculpa lá M. S., mas dei-me agora conta de que a minha vida tem sido uma vida muito aborrecida e pobre em momentos de grandeza. falhei sempre os momentos de viragem decisivos para a história política recente: cheguei à croácia em 2000 – tarde demais para ser qualquer coisa extraordinária e nessa altura já a croácia se regenerava como destino turístico, se assim não fosse nem me passaria pela cabeça lá ir; à bósnia em 2000, por 20 minutos e cerca de 20 km numa faixa que eles têm à beira do mar e que corta a croácia em duas partes. A passagem pela Bósnia foi um erro e quando entrei no autocarro de Spli para Dubrovnik nem sabia que tinha que atravessar um bocado da Bosnia-Hierzgovina. de qualquer modo no sítio onde passei estava tudo pacifico; em itália assisti a uma grande manifestação que antecedeu a de Génova – aquela em que os carabinieri atropelaram várias vezes a mesma pessoa – mas na que eu assisti só houve meia dúzia de feridos; a timor cheguei um ano depois da independência, portanto nada de extraordinário, e ainda não saí de cá, menos extraordinário ainda for para comparar com gente a trabalhar no afeganistão, sudão, e outros aõs e aques; na tailândia perdi o golpe de estado por umas semanas, mas pelo menos tenho um amigo que lá estava no mesmo dia; das bombas de bali também me safei, não estava lá mas houve uns quantos que também conheço que ouviram as explosões; nos outros paises que visitei não aconteceu nada enquanto eu la estava nem, que eu saiba porque não tenho televisão há quatro anos, aconteceu qualquer coisa de extraordinário depois. Além disso sempre fiz ski em vez de snow board, e só na espanha.

Fique, no entanto, o senhor M. S. descansado que procurarei doravante, com toda a certeza, fazer qualquer coisa de extraordinário na minha vida e mantê-lo informado. Com os melhores cumprimentos, mmux.

Agora ando ansiosamente a pensar em alternativas.



Boa semana
August 26, 2007, 11:47 pm
Filed under: EAST TIMOR, TIMOR LESTE | Tags:

blog_senhoras.jpg

segunda feira, oito e quarenta e quatro hora de timor leste. o mmux deseja uma boa semana para todos, se possível cheia de agradáveis surpresas.



watolari, viqueque – timor leste
August 24, 2007, 10:13 am
Filed under: TIMOR LESTE | Tags:

alian batar, viqueque, timor leste. agosto 2007. aldeia toda queimada

blog_aviao.jpg

blog_ladies.jpg

way to watulari

babulo

blog_ricefields.jpg



Para os emergency jobseekers
August 21, 2007, 9:11 am
Filed under: CENAS FIXES

The Global Disaster Alert and Coordination System provides near real-time alerts about natural disasters around the world and tools to facilitate response coordination, including media monitoring, map catalogues and Virtual On-Site Operations Coordination Centre.



Toma!
August 19, 2007, 11:44 pm
Filed under: AGRONOMIA, EAST TIMOR, TIMOR LESTE | Tags:

varanda

riu-me agora para os malvados galináceos que tantas tentativas hortas me destruíram, que voem o que voarem à varanda do mmux é que eles não chegam para escarafunchar na horta. olho com consolo para as deliciosas plantinhas a que nem a praga dos gafanhotos deste ano chegou. como, com prazer multi-redobrado, sandes de queijo e rúcola, sabendo que serão estas umas das únicas folhinhas que crescem no sudeste asiático entre as latitudes de bali e a de darwin. saboreio calmamente e durante extensos minutos, quase numa paranóia tântrica, o delicado sabor da rúcola que me relembra dos manjares italianos e que não tem paralelo nos vegetais asiáticos. o basílico, ou manjericão, dá-me quase a mesma qualidade de prazer, mas cresce melhor, dá mais folhas e existe em mais casas de díli, o que lhe rouba parte do encanto.

a experiência varandícola trouxe também uma oportunidade para os visitantes do mmux partilharem os seus agro-conhecimentos: um português diz que a hortelã quer muita água e que se se enterrarem alguns dos rebentos estes ganham raízes e tornam a planta mais vigorosa, o que é verdade; uma italiana que veio do sudão diz que o nome português piri-piri é igual à designação em arábico; uma australiana diz que um remédio preparado com alhos é bom para dar cabo dos aranhiços e demais insectos que atacam as plantas, o que ainda não sei se funciona.