muxx


mordomias
October 27, 2008, 8:17 pm
Filed under: EAST TIMOR, VÍCIOS

anos a viver em países menos desenvolvidos e a contribuir para melhorar a economia local. pessoas iletradas, mães solteiras, velhotes reformados, gente desempregada. que conhecia melhor os cantos das casas do que eu. ali, paralelos à vida. cheios de importância e sempre prontos. quase invisíveis.

angelina de dili, cozinheira. sempre grávida, sempre a mascar areca, sempre a pôr-me a roupa na máquina às 8 da manhã, sempre a arrumar os muitos quartos da casa durante a manhã toda, sempre a ir pondo a roupa dos outros na máquina por cima da minha, sempre a deixar-me as calças, as tshirts, os calções as meias e as cuecas a lavar dentro da máquina durante quatro a cinco horas por dia. nunca percebeu o que era isso de não misturar as cores. sempre a rir-se quando a roupa toda saía da esfrega diária azul-rosada. partia muito bem o ananás.

augusto de natarbora, cozinheiro. com algumas sessenta primaveras, antigo criado dos militares portugueses antes de 1974, teimoso que nem um burro. ia ao mercado fazer compras às cinco da manhã com o seu cavalito. cozinhava mal. obrigava-me a comer as coisas mais amargas da terra porque era bom para a malária. não usava o fogão porque tinha medo. os raros feijões frades, cebolas e atum trazidos da cidade para preparar uma saladinha, ele gastava-os a fazer uma omeleta. que não estava má. ensinou-me tetun. espero que esteja de saúde.

lusia do oecussi, empregada de estrangeiros que iam passando pelo enclave. abria-me o frigorífico por umas horas todas as manhãs “para sair o cheiro”. vinha de mototaxi, sentada à amazonas – que no oecusse sentar-se na mota com um desconhecido e com uma perna para cada lado não é de mulher digna. ao colo trazia a roupa lavada e passada. por cima da roupa trazia o gato. dizia que ele ia espantar os ratos que andavam no telhado. à tarde levava o gato outra vez para casa porque achava que eu não sabia tratar dele. contava-me dos problemas com as irmãs do namorado enquanto me fazia café. todos os dias. uma senhora.

afonso do oecussi, segurança. guardava-me a casa todas as noites e rezava até de madrugada. dava-me dicas de como lidar com a mulher do vizinho quando eles se punham a discutir e ela fugia a gritar para o degrau da minha casa. ela era louca. o marido também. a família toda também, mas ela era filha do rei. o afonso era bruxo acreditado que quando alguma coisa desaparecia da minha casa espalhava a notícia de que grandes males se iriam abater sobre o ladrão. funcionava e as coisas apareciam outra vez. fez-me a honra de trazer o bruxo mais conhecido e conceituado de timor inteiro para jantar no alpendre. colegas. de bést.

jacinta de dili, empregada de estrangeiros. ex professora, cinquenta e tal anos, fez-me decidir voltar a timor. mostrou-me como uma pessoa digna, educada, trabalhadora se pode de um dia para o outro ver privada de tudo. mostrou-me o que era estar sentada a caminho do aeroporto com medo, e raiva e sem saber se vai poder voltar para casa. voltou. sabia onde tudo estava guardado, conhece-me como poucos. ama o senhor carlos e o senhor carlos morre de amores por ela. um mimo.

yola de la paz, empregada de “oficinas” e de casas de gente com pasta. faz-me sumos de frutas e cafés todas as manhãs. traz-me o pão. é mãe de uma filha e o marido fugiu faz muito tempo. anda sempre de fato de treino. anda-me a arrumar a casa enquanto estou para aqui a escrever isto.

valem o seu peso em ouro.


15 Comments so far
Leave a comment

Fantástico…! :)

Comment by ordep

Ouro?…Ouro?…

LA PAZ!!!Viva La Paz sem Campesinos…

Comment by Cervejas

Ainda bem que há pessoas assim!

Comment by Luism

belo post! parabéns.

Comment by hau

São tão boas essas mordomias que perpetuam a nossa preguiça de nos responsabilizarmos pelas nossas lides domésticas…

Comment by joana

De que vale a escrita ‘poética’ ao pé desta escrita de vida? Grande mmux. Obrigada Nuno.

Comment by embaku

Boa!
Ah, e a sra. maria pertence a outra fase..

Comment by a2mar

Após a leitura do seu texto, apraz-me dizer o seguinte:
– isso de valerem o seu peso em ouro não é grande elogio caro mux dado a estrutura física das pessoas em questão.
– estarei errada ao pensar que a senhora te faz os sumos naturais para acompanhar os ditos croissants???
– quanto ao bruxo mais conhecido de Timor-Leste,vejo-me na obrigação de defender o meu Dr. Luis de Los Palos, que tratou de mim vigorosamente – no sentido estrito do termo – após as minhas cambalhotas dentro do carro em Manatuto. Se não tiveste um Luis a almoçar no teu alprende, um Luis com um dente de leite cá mesmo à frente, então foste enganado!:-)

Comment by carla alexandra

cervejas, devias cá dar um saltinho para te meteres nas huelgas…

carla, pois é tudo gente pequenina de estatura, sim senhora, mas uns 40-50 kilitos de ouro ainda são qualquer coisa; não, não estás errada. só pecas por não ter adivinhado que às vezes é para acompanhar bolinhos, pãezinhos xpto e croissants. quanto ao bruxo, garanto-te que este tinha um portfolio de clientela invejável. um dia conto-te a quem é que ele dava consultas…

Comment by mmux

[…] bonito texto do Nuno a fazer lembrar uma questão que sempre me ocupou a cabeça quando trabalhava no contexto […]

Pingback by Desenvolvimentos » ENFADO

Maravilhoso.

Nas minhas “passeatas” pela estranja também já conheci e conheço pessoas assim.

É simplesmente isso.

Abraço. Onde estás agora?

Comment by PrimaNocte

La paz, até ao fim do mês.

Comment by mmux

Nao sei se concordo com a Carla no que respeita ao bruxo, tenho que dizer que confirmo o que o mmux disse acerca de clientela VIP, se calhar os resultados… Pelo menos era o que o afonso dizia, e eu nao quero desmantir o afonso se nao ainda vou parar para um sitio que mais parece o fim do mundo e onde o chaos reina….

Comment by monfas

Eu cá lembro-me do Augusto de Natarbora. Com a sua gargalhada estridente, acho que até simpatizou comigo. Bem que trabalhou no fim de semana da matança do porco! Entre a sua fogueira no meio da cozinha e as ratazanas no telhado a meio da noite lá se passou um belo fim de semana à estilo national geographic! Quando me queixei dos escorpiões, riu-se e encolheu os ombros…

Tenho também que referir a Dona Florinda e as suas belas empadas! As mordomias dos outros que o caro mmux não dispensava!

Comment by a b c

o meu bruxo vive numa casa construida e oferecida por uma americana seropositiva que regressou curada (!!!)e recebe clientes de cada distrito apenas a um determinado dia da semana conforme a placa indica à entrada da propriedade, dado o volume de fregueses. Cuida tb da performance sexual de ministros, o que é uma coisa muito importante e nao recebe dinheiro nenhum em troca porque os dons não devem ser vendidos caso contrario os espiritos retiram-os. Mas se lhe quiseres oferecer dinheiro isso já é outra coisa… além disso auto-proclamou-se Dr,o que prova que é uma pessoa não só de grande nível mas também de grande visão.
Mas acima de tudo, meus caros, é de Los Palos e bruxo Timorense que não seja de Los Palos, é como pastel que nao seja de Belém… O meu bruxo dava uma coça no vosso e no fim ainda torcia o pescoço a dois galos só com os olhos!!!!

giro giro era tirar-mos isto a limpo!

Comment by carla alexandra




Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s



%d bloggers like this: