muxx


antes de almoço
March 20, 2009, 7:57 pm
Filed under: ESPIRITO DO NATAL, HAITI

com os olhos vazios a olhar para o ar, a apanhar moscas, a encher chouriços no escritorio, sexta feira de manha depois de uma noite mal dormida na quinta, mas bem dançada, e a dor de cabeça a ir e voltar. “porra, que dia…” os olhos arremelgados e meio a arder, o resto do corpo todo a pedir para se ir deitar, a queixar-se de que ja não tem idade para andar a embuzinar-se a dias de semana “e o cabrão do relógio que não anda, hem! 11:39 da manhã. porra… há dias que passam a correr e este nunca mais chega nem à hora de almoço”. e neste estado, continuei a fingir que trabalhava, a escrever avidamente umas mensagens no facebook, uns emails do yahoo, a pensar “é hoje que escrevo um post” mas não sabia sobre o quê… e zás. aparece-me este teu email. espectacular, mesmo mesmo a calhar. até porque pedir não custa, e fazer uma lista de pedidos não requer assim grande sabedoria – eu que o diga, que toda a gente me vem pedir coisas. ou é o pasteur da igreja dos condenadinhos da vida, ou o perfeito do salto do inferno, ou as gajinhas da ODADDDMEDO – a Organização Das Ajudantes Dos Desgraçadinhos Deste Mundo E Do Outro. 11:42. nunca mais chega o fim da tarde. já te mando a lista.

Advertisements


O TITANIC
December 26, 2008, 9:32 am
Filed under: ESPIRITO DO NATAL, HAITI, Port-au-Prince

não sei se é a carrinha dos gelados, ou outra carrinha. ou um sino da igreja de uma seita qualquer. mas a música do titanic aparece todos os dias vinda não se sabe de onde. será que esta metade da ilha se vai afundar?



TONTON NOEL
December 26, 2008, 9:32 am
Filed under: ESPIRITO DO NATAL, HAITI, Port-au-Prince

o pai natal no haiti chama-se tio natal



LWA DO NATAL
December 26, 2008, 9:31 am
Filed under: ESPIRITO DO NATAL, HAITI, Port-au-Prince

véspera de natal e o escritório cheio de gente, que trabalha como se fosse outro dia qualquer. não está ninguém com pressas para as compras, ninguém fala em planos, ninguém vai de viagem. os filipinos e a mauriciana telefonam às cinco da tarde, dizem que vão jantar fora, se eu quero ir também. – sim, vou só dormir uma sesta e às sete encontramo-nos aqui.

e a consoada começa. no mosaik um come caril de camarão, outro pede o peixe do dia, a moça escolhe um sashimi e o último prefere os bifes com batatas fritas. “tá aqui uma ceia” – olhe um rum sour faz favor – dois – três – quatro “bem, todos bebem, não devem ser muçulmanos. nem sei a religião destes gajos. também não me importa”. alguém pergunta a um dos filipinos – e a tua mulher, não veio? – não, diz que lhe doía a cabeça, deve ser ainda do jetlag, ficou-se por casa e deve estar no skype. vêm as sobremesas, boas, para acabar a comezaina em beleza. conversas civilizadas. vamos? vamos.

o restaurante não é longe da igreja católica. às onze da noite ainda estavam as lojas abertas. as portas da missa do galo abriam-se para os fiéis, bem vestidos, muitos e muitas com chapéus de pai natal da cabeça. muitos e muitas neste país quer dizer multidões de muitos e de muitas, metade de barrete. “lindo, os do azeite deviam fazer aqui o anúncio para o ano que vem, iam ver o fartote”.

e pelas ladeiras abaixo as ruas continuaram cheias de gente, as vendedoras sentadas no chão com os ananazes e as tangerinas e os sapatos como se não fossem mais que nove da manhã. nem sei quantos bailes passámos, uns quatro ou cinco, todos plantados no meio dos cruzamentos principais. buzinadelas, gente a dançar a toda a volta do carro, meio despida – o natal aqui é sempre assim? – não, o ano passado foi bastante parado. fogos de artifício. fogos de artifício. foguetes. fogos de artifício. – estes gajos são malucos… olha, este está a vender fogos de artifício no semáforo.

como a varanda é alta dá para ver a cidade toda. ouviam-se as músicas e a gente por todo o lado. é certo, ouve-se sempre gente nesta cidade, tapada pelas árvores. mas ontem era mais. adormeci. de manhã o dia apareceu calmo como nunca tinha visto, sem barulho, nem trânsito e às oito e meia só se ouviam os pássaros. e às nove a campaínha. a campaínha? – quem é? – a senhora que limpa a casa e que só fala crioulo e diz pelo meio Madame M e casa e duas ou três palavras que o Messieur pode reconhecer. – bon ju, madame o que é que está aqui a fazer hoje? a limpeza é às segundas às quartas e às sextas, e para mais hoje é dia de natal! – c’est ça, hoje é dia de natal, por isso vim limpar arrumar a casa. c’est ça. – humm, c’est ça. merci. “vá um gajo entender esta gente” – quer café, madame?

blog_chrxm01

blog_chrxm02

blog_chrxm03



longo, longo processo
December 22, 2008, 8:59 am
Filed under: ESPIRITO DO NATAL, HAITI, LOGÍSTICA

a primeira lâmpada eléctrica que foi acesa no haiti, e em todas as caraíbas, deu à luz a 24 de dezembro de 1895, durante a missa de natal na Cathédrale Saint-Jacques et Saint-Philipe em jacmel. este evento marcou o princípio do processo de electrificação na ilha.



morada para prendas
December 18, 2008, 3:25 pm
Filed under: ESPIRITO DO NATAL, HAITI

available on request (o mmux decidiu aproveitar o espírito natalício para comover os amiguinhos e pode ser que lhe toque alguma coisa este ano. os correios não funcionam nada mal)