muxx


santa cruz
November 12, 2012, 7:09 pm
Filed under: MALI, TIMOR LESTE | Tags: ,

os olhos juntaram-se a uns quantos outros a hoje ver timor ao longe. nao e por acaso, uma memoria escondida veio dizer que era 12 de novembro. fui ver, era o massacre. faz anos que um rapaz chamado max se encheu de coragem e filmou tudo. e que fez o mundo incendiar-se em manifestacoes, durante muitos meses.

lia poucas noticias e para mais era verao, seis meses depois. de caminho do sul para lisboa vemos um carro com um pano branco. – fassem ichto para osh casah-mentush? perguntou a italiana. – sim, normalmente… ao sabado… com… panos mais pequenos… – oolhah, o-tro. – tens razao, deve ser um casamento. (musica, conversas). – olhah, mash saun muitosh… – sim…

a ponte estava cheia de gajos para o casah-mentush. todos parados, mas so como e habito. perguntamos aos senhores do lado o que era aquilo. – eh por timor. – vis-tesh, naun podiam ser um casah-mentush. onde eh qui eh timor? …

veio a independencia. e depois os problemas. e a solucao primeira para os problemas. e os outros antes de nos. e depois nos. depois uns anos bons, seguidos de mais problemas, da situsaun, seguidos de acalmia, e depois os outros depois de nos. e o tempo passou. passa. espero que continue tudo bem, keta halua.

nao fosse o rapaz chamado max talvez tudo tivesse acontecido na mesma, ou se calhar nao. talvez acontecesse, mas de maneira diferente e um bocado mais tarde quando nos ja estivessemos todos a trabalhar noutra coisa qualquer, tipo numa camara, ou numa empresa, ou num monte a ver as vacas passar. e ninguem soubesse que santa cruz era, bem, o que era, o sitio onde eu nao gostava de passar. e nao tivessemos ido a timor. trabalhar. sorrir. chorar. crescer. sentarmo-nos nos casah-mentush. comer arrozinho. viva o max. abracos

Advertisements


dias
August 27, 2009, 9:08 pm
Filed under: TIMOR LESTE

o mmux existe em versão caderno desde há uns tempos, com rascunhos de parvoíces que talvez um dia destes venham parar ao blogue. por exemplo, um dos rascunhos, bastante bom se a modéstia me permite dizer tanto, é sobre o tributo a michael jackson a agarrar 100 pessoas à televisão num famoso bar de havana (quem diria?). outro é sobre uma fotografia de um gajo a empurrar duas árvores gigantes, antes de cortar o cabelo. e um outro sobre as lontras. e outro sobre os mojitos. e outro sobre vidas cruzadas. outro sobre ser um americano. outro sobre tempos de convulsão. dias de mudança que raramente se esquecem. e este, de duas linhas, merece vir parar aqui. hoje o manel vai-se embora de timor. deve ser um dia desses para ele, dos das mudanças. que esta nova parte da vida lhe corra bem e que as boas coisas que passou e fez em timor lhe encham o peito. bonne voyage. abraço.



cá há pouco disso
June 10, 2009, 8:50 am
Filed under: TIMOR LESTE

Uma espécie de radiação colec­tiva, sen­tida todos os dias na rua, nos sor­ri­sos das crianças, nas pes­soas com quem tra­ba­lho e com quem con­verso.



nadações
June 7, 2009, 8:03 am
Filed under: HAITI, TIMOR LESTE

numa piscina, num mergulho, uma braçada, mais outra. é vê-lo a empurrar a água cada vez com mais força, sem saber porquê e só para cansar o corpo. a queimar a preguiça. a açapar. cansado e mais e mais concentrado. fora d’água, abre os olhos, fecha os olhos, debaixo d’água, fora d’água, abre os olhos, fecha os olhos, debaixo d’água, fora…  os olhos abrem-se, tranquilamente, à procura duma catarse não sabe de quê. rugas na testa desde manhã, não sabe porquê. quando se abrem projectam-no para timor. para gente de lá. fecha os olhos, debaixo d’água.



oohhhhhhhh guiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!
March 9, 2009, 10:44 am
Filed under: POR AÍ, PORTUGAL, TIMOR LESTE

se a vida nos dá a conhecer personagens fortes, a maria josé era uma delas. vai-nos fazer muita falta. não que a visse muitas vezes, não que lhe escrevesse muitas vezes, não que soubesse dela muitas vezes, não que falássemos muitas vezes. mas estava lá, como o mar. que pena.



quase…
January 22, 2009, 9:24 pm
Filed under: BOLIVIA, HAITI, TIMOR LESTE

como a timor telecom, a entel boliviana e a voilá haitiana. quase, quase 100%. by the way, já alguém disse aos sócios da TT que nem a merda do skype funciona com a porcaria de rede que eles têm? e que custa 1 dólar de cada vez que um gajo tenta e não funciona na mesma? é só mais 50 vezes do que para países normais. adequado, não? venham os Telstras.



dois ultra-levures e relógios
January 20, 2009, 9:03 pm
Filed under: TIMOR LESTE

andou aí uma brincadeira de classificar os restaurantes de díli em número de ultra-levures. agora é mais fácil, já há lista. é só dar-lhes de um a cinco ultra-levures e de um a cinco relógios. e.g. Vittoria, dois ultra-levures (medianamente aceitável, males de estômago assim assim frequentes, mas mais para o menos se não comer a salada) e cinco relógios (nunca visto… ).